Bom dia cacheadas de plantão! Para quem ainda não conhece as técnicas de Low Poo e No Poo, fique ligado nesse post!

Se você já conhece, veja uma seleção de produtos para cabelos cacheados liberados para essa técnica!

Vamos começar explicando o princípio das duas técnicas:

A descontinuação do uso do sulfato

produtos cacheados

Para quem não sabe, o sulfato é uma agente de limpeza extremamente agressivo, que está presente na maioria dos shampoos.

O cabelo cacheado é naturalmente mais seco, pois a oleosidade que é gerada na raiz, dificilmente consegue atingir todo o comprimento do cabelo, já que trata-se de um caminho cheio de ondas e não um cabelo liso e vertical.

Devido a tanta dificuldade para que o óleo atinja todo o comprimento do cabelo, os fios dos cabelos cacheados acabam ficando ressecados, sem sua proteção natural.

Quando utilizamos shampoos com sulfato, o pouco da oleosidade natural que temos nos fios é retirado, gerando perda de nutrientes e ressecamento em excesso.

Por esse motivo, sempre dizemos que lavar os cabelos todos os dias é um mal que você faz aos seus fios.

Porém, o sulfato é importante para uma coisa – agora entraremos no segundo ponto para explicar essa técnica:

A descontinuação do uso de óleos minerais e derivados de petróleo

Como dizíamos no tópico anterior, o sulfato é importante para que retiremos o acúmulo de produtos derivados do petróleo e óleos minerais presentes na maioria dos condicionadores e produtos para cabelos.

Se não utilizarmos o sulfato para retira-los, eles se acumulam nos fios, impedindo assim que produtos de hidratação e tratamento posso penetrar nos fios e trata-los.

Mas se o sulfato é necessário para retirar esses acúmulos, como faremos para não utilizar o sulfato? Precisamos então evitar condicionadores e cremes para cachos que contenham óleos minerais e derivados de petróleo.

Vamos então agora explicar aspectos sobre o Low Poo

O Low Poo

O Low Poo consiste em tudo que foi explicado anteriormente: manter sua rotina de cuidados com os cabelos sem uilizar shampoo com sulfato e qualquer outro produto que contenha óleos minerais e derivados de petróleo.

Dessa forma, estaremos não só deixando de danificar os fios pela descontinuação do uso do sulfato, como também dando preferência a utilizar produtos que realmente tratem os fios, e não só mascarem e finjam que tratam-no.

No Poo

O No Poo é uma técnica que vai um pouco além: ele excluiu o uso de qualquer shampoo nos cabelos, deixando a limpeza somente para o condicionador.

Os condicionadores possuem agentes de limpeza mais suaves, o suficiente para retirar o excesso de oleosidade e poeira. Afinal, se você não usa nenhum produto que contém os derivados de petróleo, silicones e óleos minerais, não há grandes sujeiras para serem retiradas, e a limpeza com condicionador é mais do que suficiente!

Se você deseja experimentar uma das técnicas, o que eu recomendo fortemente, é preciso ter em mente que é necessário um período de adaptação!

cachosEsse post é uma continuação da minha história. Se você perdeu a primeira parte, clique aqui para ler.

Continuando…

Pois bem, sem nem mesmo fazer um teste de alergia, o cabeleireiro colocou um produto manipulado por ele mesmo (ou seja, uma quantidade de formol que ele julgou necessária para “dar um jeito” no meu cabelo – sem regras ou sem quantidade estipulada por lei) no meu cabelo. Algumas horas depois, eu saí do salão me sentindo maravilhosa, com os cabelos lisos, como de um japonês!

Mas tinha um problema que eu só fui identificar dois anos depois: eu não sou japonesa! E qualquer um que olhar pra minha cara percebe que cabelo liso não tem nada a ver comigo! “Eu sou uma pessoa artificial”, “eu estou fingindo ser alguém que eu não sou”, “eu não tenho identidade” – Esses foram algums dos pensamentos que começaram a surgir na minha cabeça.

Porém, de certa forma, eu relevei por mais alguns anos, até que há dois anos atrás isso me incomodou a tal ponto que eu senti que precisava mudar. Foi então que eu decidi iniciar o processo de transição, ou seja, deixar de fazer química no cabelo e deixar meu cabelo natural crescer.

É um processo complicadíssimo, pois a diferença de texturas acaba com a nossa auto-estima! Me lembrei completamente daquela menina de 5 anos que se olhava no espelho e se odiava!

Durante o processo de transição (foi um longo processo que durou pouco mais de um ano) eu aguentei firme e forte! Bem, na realidade, eu quase desisti várias vezes. Cheguei até a marcar o cabeleireiro pra fazer progressiva novamente, mas acabei desistindo na hora!

Hoje essa questão da transição estão um pouco mais fácil, pois existe muita informação. Muitas blogueiras ensinam como fazer texturização para cachear a parte lisa do cabelo, penteados para disfarçar a diferença de texturas, e outras técnicas que ajudam a passar por essa etapa da vida de qualquer cacheada que resolver reassumir os cachos.

Hoje tenho o cabelo cacheado de volta: lindo, maravilhoso, como sempre sonhei! Hoje sei que ele não é um problema e sim um motivo de orgulho! Hoje vivo um verdadeiro caso de amor com meu cabelo.

Eu simplesmente ignoro qualquer comentário negativo que possa receber a respeito, como por exemplo: “Nossa, preferia você de cabelos lisos” ou até mesmo “Ai, porque você fez isso com seu cabelo?!”.

Sim, querida: eu já escutei de tudo, acredite. Mas o importante é que hoje eu tenho confiança em mim!

Olá!

É com muito prazer que inauguro este blog, que trará diversas informações para meninas de cabelos crespos e cacheados que desejam assumir seus cachos naturais!

Começarei esse post falando sobre empoderamento e sobre a minha própria história.

Tudo começou quando eu tinha 5 anos de idade. O meu cabelo, digamos assim, era difícil de lidar! Grande parte das minhas amigas possuíam cabelos lisos ou com leves ondas. Estavam sempre lindos e arrumados quando íamos pra escolinha.

Já o meu cabelo, era diferente! Minha mãe vivia reclamando que não sabia mais o que fazer com meu cabelo, pois por mais que ela tentasse arrumar, alguns minutos depois tava sempre bagunçado! De certa forma, comecei a me sentir culpada pelo cabelo que eu tinha. Como podemos nos sentir culpados por algo que não escolhemos?

Isso começou a acabar com a minha auto-estima. E foi assim que eu cresci acreditando que eu era um patinho feio e que o meu cabelo nada mais era do que um problema que eu precisava solucionar o quanto antes.

Foi então que surgiu a moda das escovas progressivas: aquele produto mágico que você entrava no salão horrorosa e saia linda, dentro dos padrões de beleza estipulados pela sociedade, ou seja, de cabelos lisos!

Eu era muito nova quando essa moda começou. Tinha cerca de 13 anos de idade, mas não sosseguei enquanto alguém não me levou no salão para fazer a tal da escova progressiva. Foi então que a minha avó, depois de tanto me ouvir reclamar, acabou me levando.

Minha mãe não tinha dinheiro para pagar, pois era muito caro na época. Mas a minha avó deu um jeitinho. Ela, acreditando que tava me fazendo um bem, me levou ao salão!

Hoje em dia eu já penso que é um absurdo um cabeleireiro aceitar passar uma química tão forte no cabelo de uma criança, ainda mais levando-se em consideração que muitas pessoas são alérgicas a esses tipos de produtos e algumas chegaram até a falecer!

(Continua no próximo post)